As mentiras do Apocalipse Protestante! 

Quem eram os reis da “TERRA” na época de Cristo?

Quem eram os reis da “TERRA” na época de Cristo?

“E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da TERRA (Apocalipse, Capítulo XVII, Verso XVIII).

Caros leitores, nesse artigo, eu irei novamente fazer uma breve explanação a respeito da cidade de Jerusalém e os “REIS DA TERRA”. Assim como em outros artigos, novamente, eu serei obrigado a esclarecer que, o termo “TERRA” nas escrituras sagradas, refere-se a um “TERRITÓRIO” (específico), e não ao planeta terra. Observem, assim como em outros artigos, o significado do termo “TERRA” segundo a Concordância Strong:

 

Original Word: γ, γῆς.

  • Part of Speech: Noun, Feminine.
  • Transliteration: gé.
  • Phonetic Spelling: (ghay).
  • Short Definition: the earth, soil, land.
  • Definition: the earth, soil, land, region, country, inhabitants of a region.

 

Resumindo: o termo GÈ (γῆς) significa: “TERRITÓRIO HABITADO”.

Quem quiser saber mais sobre o assunto, acessar o meu artigo: A realeza de Jerusalém e os Reis da Terra.

Voltando ao assunto; sabendo que “TERRA” também possui o significado de “TERRITÓRIO”, e, quando o autor, dentro das sagradas escrituras, não identifica qual é esse território,  atribui então o termo "TERRA" à sua própria nação, e, aos seus compatriotas, como no caso: "OS HABITANTES DA TERRA”.

Nesse artigo, eu quero fazer uma análise técnica e histórica do que era Israel nos tempos de Jesus Cristo. Depois dessa análise, eu farei uma exegese sobre quem eram esses reis.

Primeiramente eu quero que os leitores observem esse texto de atos dos apóstolos:

Levantam-se os reis da terra, e os príncipes se reúnem em conselho contra o Senhor e contra o seu Cristo (Sl 2,1s.). Pois na verdade se uniram nesta cidade contra o vosso santo servo Jesus, que ungistes Herodes e Pôncio Pilatos com os gentios e com o povo de Israel, para executarem o que a vossa mão e o vosso conselho predeterminaram que se fizesse” (Atos dos Apóstolos, Capítulo IV, Versos XXVI ao XVIII).

"παρέστησαν οἱ βασιλεῖςτῆςγῆς καὶοἱἄρχοντεςσυνήχθησαν ἐπὶτὸ αὐτὸ κατὰτοῦκυρίου καὶ κατὰτοῦχριστοῦ αὐτοῦ"

Sabendo que esse texto é baseado em uma profecia derivada de um Salmo do Rei Davi, observem: O texto diz que se reuniram em Jerusalém OS REIS DA TERRA; OS PRÍNCIPES; OS GENTIOS; O POVO DE ISRAEL. O povo de Israel e os gentios todos nós sabemos o que são, assim como os príncipes, pois, eram os príncipes dos sacerdotes (sabendo que existem contestações). Mas, eu quero analisar, quem eram os “REIS DA TERRA”.

Vamos nos lembrar de que, Josué conquistou Israel (toda a terra) vencendo trinta e um reinados:

Estes, pois, são os reis da terra, aos quais os filhos de Israel feriram e cujas terras possuíram além do Jordão para o nascente do sol, desde o ribeiro de Arnom, até ao monte de Hermom, e toda a planície do oriente: [...] O rei de Tirza, outro; trinta e um reis ao todo (Josué, Capítulo XII, Versos I ao XXIV).

Sabendo que, na época de Josué, o território de Israel possuía trinta e um reis, e, Jerusalém se tornou posteriormente, capital desse reino, quantos reis existiam no território de Israel na época de Jesus Cristo? Deveremos nos voltar para história e entender essa questão. Observem esse verso:

“E no ano quinze do império de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos presidente da Judeia, e Herodes tetrarca da Galileia, e seu irmão Filipe tetrarca da Ituréia e da província de Traconites, e Lisânias tetrarca de Abilene(Evangelho de São Lucas, Capítulo III, Verso I).

Então possuímos uma tetrarquia dentro do território de Israel. Mas, o que é uma tetrarquia? Vamos analisar o que é uma tetrarquia fazendo um breve resumo da história de Israel, depois que o território foi dominado pelos romanos.

Em 63 A.C. Pompeu conquista Jerusalém: Pouco depois do regresso da Babilônia serviram-se ininterruptamente de um regime político de oligarquia aristocrática (eram os sacerdotes que estavam à frente dos assuntos), até que o general romano Pompeu atacou Jerusalém, assaltou-a à força e profanou os lugares santos entrando até a parte mais escondida do templo”(História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia, Livro I, Capítulo IV, Verso VI).

Depois da conquista de Pompeu, na época de Otavio Augusto, primeiro imperador romano, Herodes Magno foi proclamado “REI” da Judeia e governava todo o território de Israel. Grande particularidade sobre Herodes Magno, é que, Herodes Magno não era da linhagem real, aliás, ele foi o primeiro rei estrangeiro em Israel, pois, ele era Edomita: “Desta forma, assim que Hircano, último a quem chegou a sucessão dos sumos sacerdotes, foi levado cativo pelos partos, o senado romano e o imperador Augusto colocaram a nação judia nas mãos de Herodes, o primeiro estrangeiro, como já foi dito ”(História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia, Livro I, Capítulo IV, Verso VII).

“E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do REI Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo” (Evangelho de São Mateus, Capítulo II, Versos I e II).

Após a morte de Herodes Magno, o reino de Israel, e o reino do Herodes Magno, foi divido em quatro partes e repartido entre quatro de seus filhos: Arquelau, Felipe, Herodes Antipas e Lisânias. Naquele momento, o território de Israel – como era conhecido – se tornou uma “TETRARQUIA”. Um único reino dividido em quatro.

 

  • Arquelau (posteriormente sucedido por Pilatos): governava a Judeia e Samaria.
  • Felipe: governava o leste do rio Jordão.
  • Herodes Antipas: governava a Galileia.
  • Lisânias: governava Abilene (região que hoje pertence a Síria).

 

O que vemos nesse momento da história de Israel? Um reino sendo dividido em quatro outros reinos dentro de um mesmo território.

Após dez anos no poder, Arquelau, rei da Judeia, acusado pelo povo de crueldade e brutalidade, perdeu o seu reinado na Judeia. A região passou a ser governada por dois de seus irmãos (Felipe e Herodes Antipas) até que, Pôncio Pilatos fora proclamado governador da Judeia: “O historiador acima citado (Flávio Josefo) corrobora a notícia da subida de Arquelau ao poder depois de Herodes e descreve de que maneira por testamento de seu pai Herodes e por decisão de César Augusto, recebeu em sucessão o reino da Judeia, e como, tirado do poder após dez anos, seus irmãos Felipe e Herodes o Jovem, governaram suas próprias tetrarquias. O mesmo Josefo, no livro XVIII de suas Antiguidades, declara que, no ano doze do império de Tibério (pois foi este o sucessor no Império, depois dos cinquenta e sete anos de reinado de Augusto), Pôncio Pilatos obteve o governo da Judeia, no qual, se manteve por dez anos completos, quase até a morte de Tibério” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia, Livro I, Capítulo VIII, Verso I ao IV).

Esses eram os “REIS DA TERRA” na época de Jesus Cristo: Arquelau e depois Pôncio Pilatos; Felipe; Herodes Antipas e Lisânias. A tetrarquia herodiana. Naquele momento, Jerusalém, cidade que era situada na Judeia, exercia toda sua realeza sobre todo o território de Israel, pois, Jerusalém era a cidade do “GRANDE REI”, e possuía o “TEMPLO DE SALOMÃO”.

“Eu, porém, vos digo: não jureis de modo algum, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei (Evangelho de São Mateus, Capítulo V, Versos XXXIV e XXXV).

Lembre-se de que, Jesus Cristo, antes de ser crucificado, foi interrogado em Jerusalém por Pôncio Pilatos que governava a Judeia e por Herodes Antipas que governava a Galileia. Assim como menciona o texto de atos dos apóstolos por mim citado no enunciado do artigo. Corroborando com o texto de atos dos apóstolos, no evangelho de São Lucas, também é mencionada essa passagem.

Então Pilatos, ouvindo falar da Galileia perguntou se aquele homem era Galileu. E, sabendo que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a Herodes, que também naqueles dias estava em Jerusalém ”(Evangelho de São Lucas, Capítulo XXVIII, Versos VI e VII).

O que devemos entender sobre a realeza de Jerusalém, é que a Judeia exercia um poder real sobre as demais tetrarquias, pois, somente o tetrarca da Judeia era chamado de rei.

“E, ouvindo que Arquelau reinava na Judeia em lugar de Herodes, seu pai, receou ir para lá; mas avisado num sonho, por divina revelação, foi para as partes da Galileia” (Evangelho de São Mateus, Capítulo II, Verso XXII).

Posteriormente, depois da morte de Pôncio Pilatos (não há registros fidedignos sobre essa morte), Herodes Agripa I foi proclamado pelo seu amigo (imperador romano) Caio Calígula, rei da Judeia. Porém, com uma pequena particularidade, esse sucessor de Arquelau, recebera também, os reinos de Felipe, Herodes Antipas e Lisânias. O mesmo ocorreu com seu filho, Herodes Agripa II que o sucedeu.

“Morreu, pois, Tibério depois de reinar por cerca de vinte e dois anos. Depois dele tomou o poder Caio, que em seguida pôs sobre Agripa a coroa do comando sobre os judeus, fazendo-o rei das tetrarquias de Felipe e de Lisânias, às quais não muito depois juntou a de Herodes, depois de condenar este (que era o Herodes do tempo da paixão do Salvador), junto com sua mulher Herodías, ao desterro perpétuo por causa de seus muitos crimes, Josefo também é testemunha destes fatos”(História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia, Livro II, Capítulo IV, Verso I).

Após a morte de Herodes Agripa I, esse rei que recebeu o poder do imperador romano para fazer guerra contra os Cristãos, seu filho, Herodes Agripa II assume o poder. Ele não foi diferente de seu pai, pois, sobre o seu reinado, Tiago irmão do Senhor foi martirizado. Foi no reinado de Herodes Agripa II, sétimo e último rei da família de Herodes que, Titvs Flavivs, filho do imperador Vespasiano, sitiou a cidade de Jerusalém e destruiu o templo de Salomão durante as tribulações do apocalipse. Titvs Flavivs que viria a ser o sétimo rei do apocalipse, no qual iria durar pouco tempo até que seu irmão Domiciano subisse ao poder como oitavo rei e último daquela linhagem real.

Cláudio estabeleceu como rei dos judeus Agripa, filho de Agripa, e enviou Félix como procurador de toda a região da Samaria, da Galileia e da chamada Pereira. Depois de ter exercido o comando durante treze anos e oito meses, morreu, deixando Nero como sucessor no império”(Eclesiástica de Euzébio de Cesareia, Livro II, Capítulo XIX, Verso II)

Esses foram os “REIS DA TERRA” desde a época de Jesus Cristo até a destruição do templo de Jerusalém:

Observações:

O termo grego usado para designar um rei, ou, um reinado é: Βασιλέων (Basileia). Este termo aparece no apocalipse quando o livro se refere a grande cidade que reina sobre os reis da terra:

"καἡ γυνἣν εἶδες ἔστιν ἡ πόλις ἡ μεγάλη ἔχουσα βασιλείαν ἐπὶ τῶν βασιλέων τῆς γῆς" (Apocalipse, Capítulo XVII, Verso XVIII)

Por sua vez, este termo, também é designado para se referir ao reinado de Herodes Magno:

"ἐγένετο ἐν ταῖς ἡμέραις ἡρῴδου βασιλέως τῆς ἰουδαίας ἱερεύς τις ὀνόματι ζαχαρίας ἐξ ἐφημερίας ἀβιά, καὶ γυνὴ αὐτἐκ τῶν θυγατέρων ἀαρών, καὶ τὄνομα αὐτῆς ἐλισάβετ" 

“Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel” (Evangelho de São Lucas, Capítulo I, Verso V)

Assim, concluímos que, Herodes Magno possuía um “REINADO” dentro do território de Israel, e, a tetrarquia, sucedia esse reinado, ou seja, eram quatro reinados que governavam o território de Israel.

Outra importância sobre esse reinado, e, posteriormente, a tetrarquia, é que, Herodes Agripa I, neto de Herodes Magno, sucessor de Pôncio Pilatos na tetrarquia da Judeia, recebeu o seu reinado e o seu poder do então imperador romano Caio Calígula (como mencionado acima), e, o mesmo, usurpou as tetrarquias de Antipas, Filipe e Lisânias. Vale ressaltar que, Herodes Agripa I, também exercia o seu poder sobre as cidades de Tiro e Sidom, sendo que, a cidade de Tiro era o principal ponto comercial na época de Jesus Cristo. Herodes Agripa I abastecia com provisões as duas cidades. Podemos observar essa situação nos relatos de São Lucas em atos dos apóstolos. Observem:

“Logo que amanheceu, houve grande alvoroço entre os soldados sobre o que teria sido feito de Pedro. E Herodes, tendo-o procurado e não o achando, inquiriu as sentinelas e mandou que fossem justiçadas; e descendo da Judéia para Cesareia, demorou-se ali. Ora, Herodes estava muito irritado contra os de Tiro e de Sidom; mas estes, vindo de comum acordo ter com ele e obtendo a amizade de Blasto, camareiro do rei, pediam paz, porquanto o seu país se abastecia do país do rei (Atos dos Apóstolos, Capítulo XII, Versos XVIII ao XX)

Para concluir, resta-nos saber que, Jerusalém, a grande cidade, sempre exerceu o seu domínio sobre as demais tetrarquias.

Autor: Cris Macabeus.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
4


Cai a farsa.

Pro Ecclesia.

Servos de Maria.

Apologistas Católicos.

Índice de Mentiras.

Quem sou eu.